terça-feira, fevereiro 03, 2009

Chorinho para uma amiga

Se fosses louca por mim, ah eu dava pantana, eu corria na praça, eu te chamava para ver o afogado.
Se fosses louca por mim, eu nem sei, eu subia na pedra mais alto, altivo e parado, vendo o mundo pousado a meus pés.
Oh, por que não me dizes, morena, que és louca varrida por mim?
Eu te conto um segredo, te levo à boate, eu dou vodca pra você beber!
Teu amor é tão grande, parece um luar, mas lhe falta a loucura do meu.
Olhos doces os teus, com esse olhar de você, mas por que tão distante de mim?
Lindos braços e um colo macio, mas porque tão ausentes dos meus?
Ah, se fosses louca por mim, eu comprava pipoca, saía correndo, de repente me punha a cantar.
Dançaria convosco, senhora, um bailado nervoso e sutil.
Se fosses louca por mim, eu me batia em duelo sorrindo, caía a fundo num golpe mortal. Estudava contigo o mistério dos astros, a geometria dos pássaros, declamando poemas assim: "Se eu morresse amanhã... Se fosses louca por mim... ".
Se você fosse louca por mim, ô maninha, a gente ia ao Mercado, ao nascer da manhã, ia ver o avião levantar.
Tanta coisa eu fazia, ó delícia, se fosses louca por mim!
Olha aqui, por exemplo, eu pegava e comprava um lindo peignoir pra você.
Te tirava da fila, te abrigava em chinchila, dava até um gasô pra você.
Diz por que, meu anjinho, por que tu não és louca-louca por mim?
Ai, meu Deus, como é triste viver nesta dura incerteza cruel!
Perco a fome, não vou ao cinema, só de achar que não és louca por mim.
(E no entanto direi num aparte que até gostas bastante de mim...).
Mas não sei, eu queria sentir teu olhar fulgurar contra o meu.
Mas não sei, eu queria te ver uma escrava morena de mim.
Vamos ser, meu amor, vamos ser um do outro de um modo total?
Vamos nós, meu carinho, viver num barraco, e um luar, um coqueiro e um violão?
Vamos brincar no Carnaval, hein, neguinha, vanios andar atrás do batalhão?
Vamos, amor, fazer miséria, espetar uma conta no bar?
Você quer quer eu provoque uma briga pra você torcer muito por mim?
Vamos subir no elevador, hein, doçura, nós dois juntos subindo, que bom!
Vamos entrar numa casa de pasto, beber pinga e ceveja e xingar?
Vamos, neguinha, vamos na praia passear?
Vamos ver o dirigível, que é o assombro nacional?
Vamos, maninha, vamos, na rua do Tampico, onde o pai matou a filha, ô maninha, com a tampa do maçarico?
Vamos maninha, vamos morar em jurujuba, andar de barco a vela, ô maninha, comer camarão graúdo?
Vem cá, meu bem, vem cá, meu bem, vem cá, vem cá, vem cá, se não vens bem depressinha, meu bem, vou contar para o seu pai.
Ah, minha flor, que linda, a embriaguez do amor, dá um frio pela espinha, prenda minha, e em seguida dá calor.
És tão linda, menina, se te chamasses Marina, eu te levava no banho de mar.
És tão doce, beleza, se te chamasses Teresa, eu teria certeza, meu bem.
Mas não tenho certeza de nada, ó desgraça, ó ruína, ó Tupá!
Tu sabias que em ti tem taiti, linda ilha do amor e do adeus? tem mandinga, tem mascate, pão-de-açúcar com café, tem chimborazo, kamtchaka, tabor, popocatepel? tem juras, tem jetaturas e até danúbios azuis, tem igapós, jamundás, içás, tapajós, purus! – tens, tens, tens, ah se tens! tens, tens tens, ah se tens!
Meu amor, meu amor, meu amor, que carinho tão bom por você, quantos beijos alados fugindo, quanto sangue no meu coração!
Ah, se fosses louca por mim, eu me estirava na areia, ficava mirando as estrelas.
Se fosses louca por mim, eu saía correndo de súbito, entre o pasmo da turba inconsútil.
Eu dizia : Woe is me!
Eu dizia: helàs! pra você…
Tanta coisa eu diria que não há poesia de longe capaz de exprimir.
Eu inventava linguagem, só falando bobagem, só fazia bobagem, meu bem.
Ó fatal pentagrama, ó lomas valentinas, ó tetrarca, ó sevícia, ó letargo!
Mas não há nada a fazer, meu destino é sofrer: e seria tão bom não sofrer.
Porque toda a alegria tua e minha seria, se você fosse louca por mim…
Mas você não é louca por mim... Mas você não é louca por mim...


Vinicius de Moraes


ps! Deveis pois, trocar o masculino pelo femino e vice e versa!

3 Comments:

At 3:02 AM, Anonymous Nanda said...

Curioso q sempre q vc posta algum texto no blo parece que foi especificamente pra mim. Já devo ter te dito isso. Aliás, aceitei o seu conselho e resolvi arriscar.
Será que fiz o melhor? Mil beijos.

 
At 12:14 PM, Blogger Natália Mendes said...

Ah minha linda!!!
Que bom saber que você também é blogueira, para podermos compartilhar coisas da vida. Bom, pelo menos as a maioria das vezes que posto no meu blog, sempre falo algo sobre meu cotidiano, coisas que sinto. E também belos poemas!

Amo-te, e esses amor é indescritível, que nem a distância (mesmo morando na mesma cidade, distância digo eu o fato de não estarmos todos os dias juntas) e nem o tempo irá desfazer meus mais sinceros sentimentos por ti.

Beijos minha metade linda!
;****

 
At 7:02 PM, Blogger Icaro Messias said...

cheia de chorinho hein!
rs

 

Postar um comentário

<< Home